sábado, 11 de outubro de 2008

Sabe como?

One week last pros vinte e um. Vinte e eu.
E a graça toda que eu sempre achei nisso se perde aos poucos. Mas não por mim.
Dificuldades forçadas... brochante.
Enquanto eu só queria balões coloridos pra comemorar nos vinte e um os dois de feliz boiolagem. E amor. Mais que tudo.
As presenças essenciais ausentes. Não todas, mas boa parte. E a ausência presente dos que ficam, dos que estão.
Eu não provoco sensações alucinógenas, não tiro a razão, a lucidez. Muito pelo contrário. Chamo-a o tempo todo. Nem eu mesma sei bem por que.
Porque sou, eu penso. Assim.
Por isso tanta ausência presente.
E depois de tanto tempo... (tá, nem tanto assim, mas tô me apaixonando pelos vinte e um) deve-se acostumar. Mas não. Again.
Pelo menos satisfaço-me com o passar, sem me preocupar tanto com o por vir. Ponto pra mim.
Não me escondo na para de priança... não me escondo de ninguém. Nobody but me.
E se o bolero me envelheceu... ok. Aceito. O bom gosto adquirido vale a pena. Independente das controvérsias.
Um ano a mais, doze meses, quarenta e oito semanas, trezentos e sessenta e cinco dias... indiferente. O que muda é a resposta ao perguntarem a idade. Muda um algarismo.
O mundo gira independente de comemorações.
De celebrações, ligações, confraternizações, felicitações, declarações, cartões, balões...
Mas eu queria. A cores. Seis. Acompanhada. Alguns. Apaixonada. Sempre. Anos. Vinte e um.
"Tchururu ruru ru ru ru... tchururu ruru ru ru... tchururu ruru ru ru ru... tchururu ru ru ru ru... são dois pra lá, dois pra cá..."

1 pitacos:

Adriana disse...

toda hora passo aqui p te ler...
beijos