sexta-feira, 27 de março de 2009

Bata palmas, bata palmas!

A sanidade me fugiu de tal forma que eu chego a me questionar se um dia a conheci.
E a loucura, que agora parece tão próxima, me faz ter certeza, em alguns momentos, que sempre existiu por aqui... soberana.
Qual é o limite entre uma coisa e outra? O que é a gota d'água, o indicador, o estopim?
E por onde vagam os meus pensamentos loucos? Onde estão os sãos? Onde estão os meus?!
Merda!
Quem é que diz que já chega e encaminha para a internação? Ou quem é que vem e traz a salvação com a mão estendida?
Tô pedindo um ou outro. Tô pedindo ajuda. Você não vê? Ninguém vê? Ou ninguém tem?...
Eu quero definições, pontos finais, pontos de exclamação. O meio termo é injusto. O em cima do muro corrói. A incerteza mata. Matando... matando... matando...
De repente...

3 pitacos:

nuh disse...

Ruim mesmo é que nem de repente é... vem 'vagarinho... vem 'mansinho... vem como quem nada quer. Vem vestido de felicidade e te invade, te destrói. E vc se pergunta enfim: será que um dia eu fui mesmo feliz? Será que um dia eu fui mesmo assim?

Pedro Ribeiro Nogueira disse...

Adorei, absolutamente. Acho que esse negócio de escrever é coisa dos Nogueira.

Moris disse...

reticentieu?

procurei e achei...

F5 na madruga de 12/05.